size_810_16_9_silhueta-facebook

Facebook vai informar quem visitou o seu perfil? Não caia nessa

Alguns amigos e clientes nos questionaram sobre um possível novo recurso do Facebook que informaria quem visitou o seu perfil – assim como Orkut fazia. Lembra? Trata-se, no entanto, de um boato falso, que já surgiu outras vezes (e era falso das outras vezes também).

A assessoria de imprensa do Facebook no Brasil diz desconhecer o assunto. Além disso, a própria rede social alega que rastrear a navegação dos usuários dessa maneira não é possível – e sugere que seus usuários denunciem aplicativos ou extensões que se digam capazes de fazer isso.

Boato antigo

O rumor em questão é antigo e costuma surgir nessa época do ano, como aconteceu em 2012, 2013 e 2014. Em geral, vem acompanhado de supostos prints, todos falsos, que dizem ilustrar como será a mudança (como os abaixo):

Reprodução

Reprodução

Reprodução

Reprodução

Posts com esse boato geralmente vêm acompanhados também de uma data a partir da qual essa mudança acontecerá. Algumas das datas mais comuns são 12, 16 e 21 de abril. Vale falar novamente: todas as datas são falsas.

A sugestão do Facebook para denunciar aplicativos e extensões que alegam ser capazes de fornecer essa informação é válida. Muitas vezes, esses programas exigem que o usuário compartilhe informações pessoais para funcionar, e depois retornam apenas nomes aleatórios de amigos como se fossem os “maiores stalkers” do perfil. Alguns deles podem ser até mesmo tentativas de phishing (roubo de informações bancárias) ou podem instalar arquivos nocivos no computador do usuário.

20160201172954_660_420

Pesquisadores criam método que acelera carregamento de páginas da web

Um grupo de pesquisadores do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT), nos EUA, desenvolveu um método que acelera o carregamento de páginas da web em até 34% sem precisar de uma conexão mais rápida. O sistema, batizado de Polaris, ainda está em estágio de testes.

Basicamente, o que o Polaris faz é traçar um mapa de uma página da web antes de fazer o requerimento do servidor. Assim, o sistema consegue montar uma sequência de objetos a serem carregados em ordem, do mais importante ao menos importante, acelerando a navegação.

Ravi Netravali, o pesquisador responsável pelo desenvolvimento do sistema, explica o funcionamento do Polaris em outras palavras. “Um browser leva até 100 milissegundos para cruzar a rede e retornar ao usuário com um ‘pedaço’ de dados. Quantos mais complexas ficam as páginas, mais ‘viagens’ são necessárias para que o navegador traga a página completa.”

Como comparação, Ravi usa o exemplo de um empresário viajando a trabalho. “Quando você visita uma cidade, às vezes descobre que há mais cidades que precisam ser visitadas antes de ir pra casa. Se alguém tivesse te oferecido uma lista com as cidades de antemão, você poderia ter planejado um caminho mais rápido para passar por todas. Sem a lista, você tem que descobrir novas cidades ao longo da viagem, o que resulta em um ‘zigue-zague’ desnecessário entre cidades que estão muito distantes umas das outras”, disse.

O que o Polaris faz, a grosso modo, é justamente oferecer uma lista de informações ao navegador para que ele possa planejar suas “viagens” à rede, retornando com mais dados e de forma mais rápida e eficiente ao usuário. Uma navegação 34% mais rápida pode parecer pouco, mas, segundo um estudo feito pela varejista online Amazon, cada atraso de 100 milissegundos reduz os lucros da empresa em 1%.

app-busca-ajudar-cegos-em-tarefas-simples-como-saber-a-validade-do-leite

Ideia incrível de aplicativo se torna real e ajuda muitas pessoas

Já pensou em usar o smartphone para auxiliar deficientes visuais? Essa é a proposta do Be My Eyes, um app para iOS que conecta pessoas com visão perfeita a cegos de todo o mundo, de modo a ajudá-los em tarefas cotidianas. Com ele, é possível verificar a validade de uma comida ou remédio, ou saber mais sobre os arredores.

O funcionamento do app é simples, requerendo somente uma conexão à Internet de boa qualidade, seja por Wi-Fi ou 3G/4G. Isso porque a ajuda é feita via videochamada, sempre que uma pessoa cega precisa de auxílio; se você fizer parte da rede de voluntários, uma notificação chega no celular e a conexão é estabelecida, caso aceite a chamada.

A partir daí, basta descrever o que aparece na tela usando sua voz, estabelecendo também um canal de comunicação com alguém que poderá ser um novo amigo. Na prática, o app opera como o Skype, mas com uma série de facilidades de acessibilidade para os deficientes visuais e com um propósito único.

“Minha esperança é de que, ajudando uns aos outros como uma comunidade online, Be My Eyes possa fazer uma grande diferença na vida cotidiana das pessoas cegas em todo o mundo”, explica o criador do projeto, o dinamarquês Hans Jorgen Wiberg.

O Be My Eyes também concede pontos aos usuários por cada pessoa ajudada, criando um ranking que funciona como incentivo.

E você tem uma ideia incrível também? Entre em contato conosco, nós da Navore tornamos realidade.

images (21)

Você gosta e entende de um conteúdo específico, saiba como ganhar dinheiro com isso

Você já pensou em ter um blog? Tem idéia do quanto isso é importante, principalmente para seus negócios online?

É justamente sobre isso que quero falar hoje! Neste artigo eu vou te dar 10 motivos para ter o seu blog.

Se já faz tempo que você pensa em criar seu blog mas até agora ainda não fez isso, depois deste artigo você não terá mais desculpas!

10 Motivos Para Ter o Seu Blog

Aqui estão os 10 motivos para você ter o seu blog:

1. Porque é muito fácil: Você não precisa ter qualquer experiência em programação ou webdesign. Basta saber navegar na Internet.

2. Ter a sua presença na Internet: Com um blog você passa a ter o seu endereço na Internet, um local onde as pessoas podem te encontrar.

3. Construir relacionamentos: Você pode interagir com outras pessoas, trocar idéias, se relacionar.

4. Ajudar as pessoas: Ao publicar artigos com dicas, orientações e estratégias para seus leitores.

5. Expressar suas idéias: No seu blog você publica o que você pensa.

6. Conhecer pessoas com os mesmos interesses: Essas pessoas vão acabar encontrando seu blog e interagindo com você.

7. Melhorar sua habilidade de comunicação: Ao criar artigos para o seu blog você acaba se forçando a isso.

8. Trocar experiências com outras pessoas: Ao interagir com os leitores do seu blog.

9. Aprender mais: Ao fazer pesquisas para publicar conteúdos relevantes para o seu blog.

10. Ganhar dinheiro: Seu blog pode ser uma excelente ferramenta de marketing online, especialmente à medida que você conquista mais relacionamentos, credibilidade e autoridade no seu nicho de mercado.

Motivo Extra: Seu Blog é SEU!

Além dos 10 motivos descritos acima, existe um motivo extra que é muito importante: o seu blog É SEU.

Para entender isso melhor, pense no seguinte: quando você não tem um blog, como é que você constroi relacionamento com outras pessoas? Provavelmente por meio de redes sociais como Facebook e YouTube.

Você pode, por exemplo, ter uma página no Facebook com milhares de curtidas (seguidores) ou pode ter um canal no YouTube com muitos inscritos.

Mas você já parou para pensar que pode perder tudo isso num piscar de olhos? É verdade! Se a sua conta for suspensa, por exemplo, ou se o serviço acabar, todo o seu trabalho será perdido.

Isso não acontece com o seu blog, justamente porque ELE É SEU. É o SEU endereço na Internet, o SEU conteúdo.

Esse é mais um motivo muito sério para ter o seu blog.

Saiba como ter um…

images (20)

Dez motivos para ter uma loja virtual

Loja virtual é um site que faz da internet seu canal de negociação, objetivando a venda de produtos e serviços à clientes online. Esses sites de e-commerce possibilitam que os clientes façam a visualização e a escolha de produtos, lançando-os em um carrinho de compras, onde a confirmação da compra e pagamentos são efetuados em um processo totalmente online.

Há não muitos anos uma das grandes dúvidas daqueles que empreendiam no comércio era a de onde fixar seu endereço físico e montar uma loja para receber seu público. Nos dias atuais essa dúvida não diz mais respeito apenas ao logradouro, abraçando também o meio digital.

Uma pesquisa rápida no Google facilmente comprova o crescimento do comércio eletrônico no Brasil e no mundo. Contudo, isso não significa que lojas físicas estão condenadas. Muitos também são os que dizem que, assim como as barreiras entre o mundo online e o offline diminuem, lojas virtuais e físicas de uma mesma empresa passem a coexistir de forma complementar, visto que nada substitui a experiência do produto “ao vivo”.

Com tantos fatores a serem analisados, na sequência trazemos algumas das nossas opiniões sobre esse caso, em tópicos, para somar aos seus conhecimentos e ajudar você a chegar uma conclusão mais satisfatória:

1) Horário de atendimento
Começamos pela questão do horário de atendimento. Neste quesito não restam dúvidas: lojas virtuais levam vantagem por funcionarem 24 horas por dia, 7 dias por semana. Basta que seu cliente possua acesso à internet e seu site esteja funcionando corretamente, sem problemas com a hospedagem.

2) Custos de um endereço físico e virtual
Investir numa loja virtual pode ser tão custoso quanto numa loja física. Na física, paga o aluguel do espaço; na virtual, paga a hospedagem (mensal) e o domínio (anual). Na física, paga um arquiteto, vitrinista, pintor e outros profissionais especializados; na virtual, uma agência que conte com programadores, web designers e também outros profissionais especializados.

Contudo, partindo da ideia de que “você recebe por aquilo que pagou”, proporcionalmente é muito mais barato ter uma loja virtual atraente e totalmente funcional. Depende de você encontrar a empresa certa para fazer esse trabalho.

3) Área de atuação e abrangência
Mais um quesito no qual lojas virtuais levam vantagem. Abertas a toda a internet, qualquer pessoa, de qualquer lugar do mundo, pode conhecer sua loja e seus produtos sem ter que se deslocar. Claro, sua logística entra em questão também. Há e-commerces que vendem para todo o mundo e outros que mantém suas atividades numa só cidade ou região. Todavia, caso você decida expandir suas atividades, você não precisa abrir um novo endereço, num novo bairro, cidade ou país.

4) Acessibilidade e experiência do consumidor
Pesquisas indicam que cada vez mais ações de marketing devem ser orientadas muito mais à experiência do consumidor do que guiadas por algum diferencial físico ou preços. Uma das coisas que possui relação direta com isso é a acessibilidade. Seja no online ou offline, essa é uma palavra-chave e que faz toda a diferença no processo de decisão de compra. Acessibilidade de uma loja física significa ter um ambiente agradável, com fácil acesso, produtos dispostos de uma maneira atraente… Tudo estrategicamente arquitetado para potencializar a experiência de comprar na sua loja.

O mesmo vale para seu site. Já percebeu o quanto sites com um bom layout e diagramação transmitem mais credibilidade mesmo que você não saiba se ele tem certificado de segurança? Você também vai querer ter certeza de que todas as informações sobre o produto estarão dispostas com uma boa leitura, além de fotos, vídeos e outros materiais que sirvam de apoio para que a pessoa não tenha dúvidas de que aquele produto é, realmente, uma boa escolha para ela.

5) Atendimento e suporte
A internet encurta distâncias, mas nada substitui o contato humano. Sem dúvida, muitos que deixam as lojas virtuais para comprar em lojas físicas o fazem em virtude do atendimento que pode ser prestado presencialmente. Apesar disso, o comércio eletrônico vem crescentemente mostrando sua faceta humanizada através de plataformas de atendimento cada vez mais personalizadas. Seja via e-mail, bate-papo ou conferências, cresce também o número de sites que disponibiliza atendentes capazes de fazer recomendações acerca dos produtos, além de se apresentarem com um nome, protocolo de atendimento, entre outros itens que dão mais segurança ao cliente.

6) Comunicação e promoção
Assim como não basta abrir as portas do seu estabelecimento e esperar que seus clientes entrem num passe de mágica, não basta abrir um site e apenas esperar que os cifrões apareçam. É preciso levar o nome da sua loja e que você oferece ao seu público. Para isso, a internet reserva métodos bastante vantajosos para pequenos e grandes anunciantes.

7) Tendências e futuro
É bem sabido que o comércio eletrônico veio para ficar. Pode ser que a forma como o conhecemos hoje mude, mas o conceito de adquirir bens e serviços através de meios digitais certamente perdurará e continuará evoluindo. O Brasil é um dos países que, de forma acelerada, tem se tornado cada vez mais consciente acerca do seu potencial no e-commerce e possui algumas das lojas virtuais mais notáveis da América Latina. Para “concluir” essa leitura, recomendamos que você também confira outra publicação que fizemos a respeito das previsões e tendências para o e-commerce brasileiro nos próximos anos:

Comércio eletrônico brasileiro cresceu 250% em 5 anos

8)Maior alcance de consumidores
Com a loja virtual, a sua empresa estará acessível para qualquer pessoa, de qualquer lugar do planeta, que pode vir a ser seu cliente e melhor, recomendá-lo aos seus contatos. Além disso, é uma grande oportunidade para inserir o produto no mercado exterior. Ampliando assim os potenciais compradores do seu produto.

9) Comodidade
Com a rotina cada vez mais agitada, as pessoas buscam mais praticidade na hora de fazer as suas compras. Se você já possui uma loja física, pondere empreender seus esforços também em uma loja virtual. Comprar pela internet em uma loja que o consumidor já conhece no estabelecimento comercial, aumenta ainda mais a confiança para realizar a compra. Além disso, a comodidade de comprar, pagar e receber sem sair de casa é muito vantajosa se comparada à ida até o estabelecimento.

10)Valorização da marca
Manter um e-commerce, mesmo que pequeno, mostra que sua marca está ligada às tendências do mercado, alerta às oportunidades e pronta para ser cada vez mais competitiva, ou seja, valoriza tudo o que diz respeito ao seu negócio, do produto à marca passando até mesmo pelos diretores e gerentes do negócio.

Números do comércio eletrônico

e-bit, desde 1999, realiza pesquisas sobre hábitos e tendências do comércio eletrônico no Brasil, os números apontam que o consumidor está interessado nas facilidades que o varejo eletrônico oferece. De acordo com a pesquisa trimestral de intenção de compra no varejo, realizada pelo PROVAR, em parceria com a e-bit, 53,8% dos consumidores pretendem comprar no mundo offline no período de Julho a Setembro desse ano. Ao mesmo tempo, 86,7% pretendem comprar online no mesmo espaço de tempo. Ou seja, o comércio eletrônico ganhou espaço onde o varejo físico perdeu. Veja abaixo um demonstrativo do faturamento do comércio eletrônico no Brasil:

evolucao-faturamento-ecommerce1

sazonalidade3

Neste ano, o faturamento do setor deve ultrapassar a marca de 22 bilhões de reais. Se a estimativa se confirmar, a área vai experimentar um crescimento de 20% em relação às vendas do ano passado, muito superior ao tímido desempenho esperado do restante da economia nacional: 1,5%. O e-commerce nacional pode registrar outro recorde neste ano: 40 milhões de brasileiros (metade dos usuários de internet no país) devem fazer ao menos uma compra em uma das 30.000 lojas on-line existentes.

 

Website

20 razões para sua empresa ter um site

Uma das perguntas mais comuns desde os primórdios da Web é “Por que minha empresa (ou negócio) deve ter um site?”

A equipe da Navore, pode afirmar que não existe uma resposta simples e curta.

Se você ainda não decidiu a investir no seu site profissional ou de sua empresa, a lista abaixo com certeza o ajudará a mudar de idéia. Essas sugestões servem para quase todas as áreas de trabalho, de formas diferente. Leia, analise e tire suas conclusões. Comentários serão sempre bem-vindos!

  1. Credibilidade. Um projeto para internet bem estruturado, com um bom design e uma navegação eficiente, dá credibilidade a uma empresa. Passa a imagem de profissionalismo, não importa seu tamanho e quantidade de funcionários. O consumidor atual espera que toda empresa decente tenha um site.
  2. Localização. Ser localizado é importante para todo tipo de negócio. O site facilita chegar a loja física ou escritório (quando houver), encontrar um telefone ou e-mail para tirar dúvidas, enviar sugestões ou adquirir seus produtos e/ou serviços.
  3. Informações sobre a empresa. Hoje em dia, o local de pesquisa onde se vai primeiro para obter informações de um produto, serviço ou empresa é a internet. Em um site essa informação fica disponível 24 horas por dia, 7 dias por semana. Quanto melhor organizada estiver as informações sobre sua empresa, produtos e serviços, maiores as chances de conquistar clientes novos mais rapidamente.
  4. Ferramenta de venda. Um possível cliente pode examinar e estudar um produto e/ou serviço do conforto de sua casa a qualquer hora do dia. Alguns sites disponibilizam atendimento online para que o cliente possa esclarecer suas dúvidas, agilizando assim a venda.
  5. Respostas padrão. Se sua empresa investe muito tempo respondendo as mesmas perguntas de seus possíveis clientes, o site pode reduzir esse custo com uma página ou seção de perguntas freqüentes.
  6. Custo reduzido. O custo de registrar um domínio, ter uma conta de hospedagem e criar um site é, sem comparação, infinitamente menor do que o de montar um escritório ou uma loja física. Literalmente, na internet, pode-se abrir uma empresa do dia para o outro.
  7. Feedback dos clientes. Um site facilita que seus clientes retornem com testemunhos, sugestões, críticas ou reclamações, permitindo uma maior agilidade na hora de modificar ou criar novos produtos, resolver problemas, criar estratégias de marketing e até ajudar novos clientes na decisão de adquirir um produto e/ou serviço que sua empresa fornece.
  8. Descobrir novos mercados. Estar atento às várias informações que podem ser coletadas através de um site, pode revelar um mercado de atuação ainda inexplorado.
  9. Aproximação do mercado. Os mecanismos de busca (Google, Yahoo) são o primeiro local onde a maioria dos consumidores vai em busca de informações sobre um determinado produto e/ou serviço, como e onde adquirí-lo através de palavras-chave. Um site otimizado para esses mecanismos ajudará sua empresa a se aproximar de seu mercado ou outros novos.
  10. Descobrir uma nova forma de vender. É comum pensar que certos produtos e/ou serviços não podem ser vendidos online. Com as atuais tecnologias e ferramentas disponíveis, um site pode revelar o oposto.
  11. Anúncios. Fica mais fácil anunciar novos produtos e/ou serviços, promoções, presença em eventos de sua empresa para seus clientes no seu site. A eficácia aumenta se fizer uma campanha de e-mail marketing em conjunto. O custo é infinitamente menor do que outras mídias.
  12. Referenciação. Seus produtos e/ou serviços podem ser referenciados por seus próprios clientes para outras pessoas, sites ou blogs através de um link “recomende a um amigo” junto a cada produto ou serviços de sua empresa.
  13. Atualizações/Recalls. Algumas empresas comercializam produtos e/ou serviços que precisam ser atualizados com alguma freqüência ou precisam informar sobre uma série de produtos que necessitam reparos, como programas de computador ou carros. Um site pode disponibilizar esse tipo de informação para que o próprio cliente resolva a situação de forma mais rápida. Isso passa segurança ao cliente para adquirir novos produtos no futuro, pois ele sabe que a sua empresa não o deixará na mão.
  14. Divulgação da marca. Dentro de uma boa estratégia de marketing ou branding, o website ajuda na divulgação de uma marca, dando credibilidade extra.
  15. Concorrência. Provavelmente seus concorrentes já tem um site e isso o coloca na sua frente.
  16. Oportunidades. O site oferece a possibilidade de surgirem novas oportunidades de negócios, como clientes fora de sua cidade ou até de seu país, que provavelmente não o encontrariam de outra forma.
  17. Conhecimento do perfil dos clientes. Através de interatividade, estatísticas de visitação e outros dados recolhidos de um site é possível conhecer o perfil do seu cliente, quem visita, compra ou chega até sua empresa. Assim como no item anterior, essas informações ajudam a criação de estratégias futuras de divulgação de seu produto e/ou serviço para ampliar ou explorar novos mercados.
  18. Contato dos visitantes. Pelo site pode-se solicitar o e-mail e endereço de clientes e pessoas interessadas em seus produtos e/ou serviços e autorização para envio de newsletters (boletins informativos), catálogos etc. Montar um banco de dados com os contatos de seus clientes atuais e potenciais para o envio de informações relevantes e divulgação de novos produtos e/ou serviços é essencial.
  19. Relacionamento com os clientes. Geralmente o consumidor prefere tratar com quem ele “conhece”. O site dá a ele a oportunidade de saber mais sobre sua empresa (e talvez você mesmo), o que dá uma sensaçào de conforto e cumplicidade. Por causa disso, é mais provável que ele feche com você do que com outra empresa sobre a qual ele não sabe nada. Em alguns casos, uma foto junto com o seu perfil ou dos membros da sua equipe tornam sua empresa “real”, estimulando a aproximação.
  20. Potencial de crescimento. Segundo estatísticas recentes, cerca de 52 milhões de pessoas entram na internet semanalmente no Brasil. Desses, 50% tem entre 25 e 44 anos. No primeiro semestre de 2009, o resultado de vendas através da internet foi de R$ 4,5 bilhões. A previsão de fechamento para 2010 era de R$ 10,6 bilhões. Repare: essas estatísticas se referem somente ao Brasi! Em resumo: sem um site, você e sua empresa estão deixando de ganhar dinheiro e crescer!

Você quer um maior resultado, está planejando um novo passo em sua carreira, projeto, produto ou negócio. Nós podemos acompanhar,e ajudar nessa transição desde o começo com dicas e sugestões de estratégias online.

Utilizando uma estratégia de marketing direta, seu nome estará se tornando referência na área de comércio em consumo diferenciado, uma tendência de mercado no Brasil que ganha cada vez mais atenção.

Se você se questionou sobre o por que um profissional ou empresa deveria ter um site. Seja você um empresário ou freelancer, essa lista poderá ajudar você a se distinguir e criar o diferencial de uma marca profissional.

20160304131140_660_420

Site encontra filmes dos quais você não lembra o nome

Uma grande ideia e você tem uma grande ideia trás pra gente, nós tornamos realidade.

Sabe quando você tenta lembrar o nome de um filme, mas não consegue? Uma empresa finlandesa pode ter colocado um fim nesse problema.

A empresa Valossa desenvolveu uma inteligência artificial capaz de buscar conteúdos de vídeo através da descrição. A técnica, chamada de Deep Content, inclui transcrições, áudio, padrões visuais e basicamente qualquer tipo de dados que descrevem o conteúdo do vídeo.

A plataforma consegue identificar mais de mil qualidades de um filme a partir de qualquer fluxo de vídeo automaticamente, incluindo emoções, locais e objetos específicos. A empresa diz que a tecnologia pode ser vantajoso para provedores de conteúdo.

Quem quiser testar pode fazer pesquisas (somente em inglês) no site What Is My Movie?; ao digitar “cabeça de Gwyneth Paltrow em uma caixa”, por exemplo, a plataforma logo seleciona o filme “Se7en – Os Sete Crimes Capitais”.

Mas ainda é preciso melhorar algumas coisas. Ao digitar “Robin Williams finge ser uma mulher”, o site não lista o filme “Uma Babá Quase Perfeita”, sendo que o primeiro filme que aparece é “Amor Extremo” – e o ator nem está nesse longa.