20 razões para sua empresa ter um site

Uma das perguntas mais comuns desde os primórdios da Web é “Por que minha empresa (ou negócio) deve ter um site?”

A equipe da Navore, pode afirmar que não existe uma resposta simples e curta.

Se você ainda não decidiu a investir no seu site profissional ou de sua empresa, a lista abaixo com certeza o ajudará a mudar de idéia. Essas sugestões servem para quase todas as áreas de trabalho, de formas diferente. Leia, analise e tire suas conclusões. Comentários serão sempre bem-vindos!

  1. Credibilidade. Um projeto para internet bem estruturado, com um bom design e uma navegação eficiente, dá credibilidade a uma empresa. Passa a imagem de profissionalismo, não importa seu tamanho e quantidade de funcionários. O consumidor atual espera que toda empresa decente tenha um site.
  2. Localização. Ser localizado é importante para todo tipo de negócio. O site facilita chegar a loja física ou escritório (quando houver), encontrar um telefone ou e-mail para tirar dúvidas, enviar sugestões ou adquirir seus produtos e/ou serviços.
  3. Informações sobre a empresa. Hoje em dia, o local de pesquisa onde se vai primeiro para obter informações de um produto, serviço ou empresa é a internet. Em um site essa informação fica disponível 24 horas por dia, 7 dias por semana. Quanto melhor organizada estiver as informações sobre sua empresa, produtos e serviços, maiores as chances de conquistar clientes novos mais rapidamente.
  4. Ferramenta de venda. Um possível cliente pode examinar e estudar um produto e/ou serviço do conforto de sua casa a qualquer hora do dia. Alguns sites disponibilizam atendimento online para que o cliente possa esclarecer suas dúvidas, agilizando assim a venda.
  5. Respostas padrão. Se sua empresa investe muito tempo respondendo as mesmas perguntas de seus possíveis clientes, o site pode reduzir esse custo com uma página ou seção de perguntas freqüentes.
  6. Custo reduzido. O custo de registrar um domínio, ter uma conta de hospedagem e criar um site é, sem comparação, infinitamente menor do que o de montar um escritório ou uma loja física. Literalmente, na internet, pode-se abrir uma empresa do dia para o outro.
  7. Feedback dos clientes. Um site facilita que seus clientes retornem com testemunhos, sugestões, críticas ou reclamações, permitindo uma maior agilidade na hora de modificar ou criar novos produtos, resolver problemas, criar estratégias de marketing e até ajudar novos clientes na decisão de adquirir um produto e/ou serviço que sua empresa fornece.
  8. Descobrir novos mercados. Estar atento às várias informações que podem ser coletadas através de um site, pode revelar um mercado de atuação ainda inexplorado.
  9. Aproximação do mercado. Os mecanismos de busca (Google, Yahoo) são o primeiro local onde a maioria dos consumidores vai em busca de informações sobre um determinado produto e/ou serviço, como e onde adquirí-lo através de palavras-chave. Um site otimizado para esses mecanismos ajudará sua empresa a se aproximar de seu mercado ou outros novos.
  10. Descobrir uma nova forma de vender. É comum pensar que certos produtos e/ou serviços não podem ser vendidos online. Com as atuais tecnologias e ferramentas disponíveis, um site pode revelar o oposto.
  11. Anúncios. Fica mais fácil anunciar novos produtos e/ou serviços, promoções, presença em eventos de sua empresa para seus clientes no seu site. A eficácia aumenta se fizer uma campanha de e-mail marketing em conjunto. O custo é infinitamente menor do que outras mídias.
  12. Referenciação. Seus produtos e/ou serviços podem ser referenciados por seus próprios clientes para outras pessoas, sites ou blogs através de um link “recomende a um amigo” junto a cada produto ou serviços de sua empresa.
  13. Atualizações/Recalls. Algumas empresas comercializam produtos e/ou serviços que precisam ser atualizados com alguma freqüência ou precisam informar sobre uma série de produtos que necessitam reparos, como programas de computador ou carros. Um site pode disponibilizar esse tipo de informação para que o próprio cliente resolva a situação de forma mais rápida. Isso passa segurança ao cliente para adquirir novos produtos no futuro, pois ele sabe que a sua empresa não o deixará na mão.
  14. Divulgação da marca. Dentro de uma boa estratégia de marketing ou branding, o website ajuda na divulgação de uma marca, dando credibilidade extra.
  15. Concorrência. Provavelmente seus concorrentes já tem um site e isso o coloca na sua frente.
  16. Oportunidades. O site oferece a possibilidade de surgirem novas oportunidades de negócios, como clientes fora de sua cidade ou até de seu país, que provavelmente não o encontrariam de outra forma.
  17. Conhecimento do perfil dos clientes. Através de interatividade, estatísticas de visitação e outros dados recolhidos de um site é possível conhecer o perfil do seu cliente, quem visita, compra ou chega até sua empresa. Assim como no item anterior, essas informações ajudam a criação de estratégias futuras de divulgação de seu produto e/ou serviço para ampliar ou explorar novos mercados.
  18. Contato dos visitantes. Pelo site pode-se solicitar o e-mail e endereço de clientes e pessoas interessadas em seus produtos e/ou serviços e autorização para envio de newsletters (boletins informativos), catálogos etc. Montar um banco de dados com os contatos de seus clientes atuais e potenciais para o envio de informações relevantes e divulgação de novos produtos e/ou serviços é essencial.
  19. Relacionamento com os clientes. Geralmente o consumidor prefere tratar com quem ele “conhece”. O site dá a ele a oportunidade de saber mais sobre sua empresa (e talvez você mesmo), o que dá uma sensaçào de conforto e cumplicidade. Por causa disso, é mais provável que ele feche com você do que com outra empresa sobre a qual ele não sabe nada. Em alguns casos, uma foto junto com o seu perfil ou dos membros da sua equipe tornam sua empresa “real”, estimulando a aproximação.
  20. Potencial de crescimento. Segundo estatísticas recentes, cerca de 52 milhões de pessoas entram na internet semanalmente no Brasil. Desses, 50% tem entre 25 e 44 anos. No primeiro semestre de 2009, o resultado de vendas através da internet foi de R$ 4,5 bilhões. A previsão de fechamento para 2010 era de R$ 10,6 bilhões. Repare: essas estatísticas se referem somente ao Brasi! Em resumo: sem um site, você e sua empresa estão deixando de ganhar dinheiro e crescer!

Você quer um maior resultado, está planejando um novo passo em sua carreira, projeto, produto ou negócio. Nós podemos acompanhar,e ajudar nessa transição desde o começo com dicas e sugestões de estratégias online.

Utilizando uma estratégia de marketing direta, seu nome estará se tornando referência na área de comércio em consumo diferenciado, uma tendência de mercado no Brasil que ganha cada vez mais atenção.

Se você se questionou sobre o por que um profissional ou empresa deveria ter um site. Seja você um empresário ou freelancer, essa lista poderá ajudar você a se distinguir e criar o diferencial de uma marca profissional.

Site encontra filmes dos quais você não lembra o nome

Uma grande ideia e você tem uma grande ideia trás pra gente, nós tornamos realidade.

Sabe quando você tenta lembrar o nome de um filme, mas não consegue? Uma empresa finlandesa pode ter colocado um fim nesse problema.

A empresa Valossa desenvolveu uma inteligência artificial capaz de buscar conteúdos de vídeo através da descrição. A técnica, chamada de Deep Content, inclui transcrições, áudio, padrões visuais e basicamente qualquer tipo de dados que descrevem o conteúdo do vídeo.

A plataforma consegue identificar mais de mil qualidades de um filme a partir de qualquer fluxo de vídeo automaticamente, incluindo emoções, locais e objetos específicos. A empresa diz que a tecnologia pode ser vantajoso para provedores de conteúdo.

Quem quiser testar pode fazer pesquisas (somente em inglês) no site What Is My Movie?; ao digitar “cabeça de Gwyneth Paltrow em uma caixa”, por exemplo, a plataforma logo seleciona o filme “Se7en – Os Sete Crimes Capitais”.

Mas ainda é preciso melhorar algumas coisas. Ao digitar “Robin Williams finge ser uma mulher”, o site não lista o filme “Uma Babá Quase Perfeita”, sendo que o primeiro filme que aparece é “Amor Extremo” – e o ator nem está nesse longa.

O que é Planejamento?

 

Carlos Escóssia

De forma genérica, o planejamento é a definição de um futuro desejado e de meios para alcançá-lo.Em outras palavras, poderíamos definir planejamento como sendo o exercício sistemático da antecipação.

O princípio do planejamento é inspirado no esquema de planificação dos países socialistas, do qual se distingue por não eliminar a concorrência entre empresas no mercado, e exercer um controle mais normativo que imperativo.

Até os anos 30, o planejamento era considerado incompatível com a economia de mercado. Hoje, o planejamento é utilizado nos países capitalistas, sendo comum à intervenção do Estado na economia.

Outra justificativa do planejamento nos países capitalistas é o investimento em certos setores ou atividade que ofereçam lucros duvidosos, e a longo prazo, pelo qual a iniciativa privada não se interessa, ou disponha de capital necessário, tais como: construção de estradas, hidrelétrica etc.

O planejamento econômico varia de acordo com as características de cada país (estrutura institucional, estágio de desenvolvimento, situação histórica e geográfica), e pode assumir diversas formas.

Pode simplesmente introduzir o controle de preços e de políticas setoriais ou, em caráter mais amplo, orientar investimentos de infra-estruturas, tais com: indústria de base, transporte e comunicação, etc.

De forma geral, as técnicas de planejamento são semelhantes quanto ao objetivo, mas costumam diferir segundo as metas, que são profundamente influenciados por fatores político-sociais.

Daí que é fundamental não confundir planejamento com previsão, projeção, predição, resolução de problemas e planos.

O planejamento pressupõe a necessidade de um processo decisório que ocorrerá antes, durante e depois de sua elaboração na empresa – é um processo contínuo, cujas características básicas são: o planejamento não diz respeito a decisões futuras, mas às implicações futuras de decisões presentes; o planejamento não é um ato isolado; o processo de planejamento é muito mais importante que seu produto final.

Na prática, podem-se distinguir três tipos de planejamento:

Planejamento Estratégico – é conceituado como um processo gerencial que possibilita ao executivo estabelecer o rumo a ser seguido pela empresa com o seu ambiente.

Relaciona-se a objetivos de longo prazo e com maneiras e ações par alcança-los, que afetam a empresa como um todo.

Planejamento Tático – relaciona-se a objetivos de curto prazo, e com maneiras e ações que, geralmente, afetam somente uma parte da empresa.

Tem como eixo central otimizar determinadas áreas de resultados, e não a empresa como um todo. Portanto, trabalha com decomposição dos objetivos e políticas estabelecidas no planejamento estratégico.

Planejamento Operacional – pode ser considerado como a formalização, principalmente através de documentos escrito das metodologias de desenvolvimento e implantações estabelecidas.

Portanto, nesta situação, tem-se basicamente os planos de ação, ou planos operacionais.

Os planejamentos operacionais correspondem a um conjunto de partes homogêneas do planejamento tático, e devem conter com detalhes: os recursos necessários a seu desenvolvimento e implantação; os procedimentos básicos a serem adotados; os produtos ou resultados finais esperados; os prazos estabelecidos e os responsáveis pela sua execução e implantação.Concluindo, é importante ressaltar que o planejamento estratégico, de forma isolado, é insuficiente, uma vez que o estabelecimento de objetivos a longo prazo, bem como o seu alcance, resulta numa situação nebulosa, pois não existem ações mais imediatas que operacionalizem o planejamento estratégico.

A falta desses aspectos é suprida com o desenvolvimento e implantação dos planejamentos táticos e operacionais de forma integrada.

GLOSSÁRIO

Liberalismo –
Doutrina que consolidava sua força econômica defendendo: a mais ampla liberdade individual; a democracia representativa com separação e independência entre os três poderes (executivo legislativo e judiciário); o direito inalienável à propriedade; a livre iniciativa e a concorrência como princípio básico capaz de humanizar os interesses individuais e coletivos e gerar o progresso social.

Planificação –
Método de planejamento central usado nos países socialistas, em que a maior parte ou totalidade das decisões de natureza econômicas são tomadas por um órgão estatal. Pressupõe a elaboração de planos de produção rigorosos e com objetivos precisos para todos os setores da economia.

Previsão –
Corresponde em verificar quais serão os eventos que poderão ocorrer, com base no registro de uma série de probabilidades.

Projeção –
Corresponde à situação em que o futuro tende a ser igual ao passado, em suas estruturas básicas.

Predição –
Corresponde à situação em que o futuro tende a ser diferente do passado, mas a empresa não tem nenhum controle sobre o seu processo de desenvolvimento.

Resolução de problemas –
Aspectos imediatos que procuram tão somente a correção de certas descontinuidades e desajustes entre a empresa e as forças externas que lhe sejam potencialmente relevantes.

Plano –
Documento que se constitui na consolidação das informações e atividades desenvolvidas no processo de planejamento; é o limite da formalização do planejamento; é uma visão estática do planejamento; é uma decisão em que a relação custo/benéfico deve ser observada.

Cinco principais características do futuro dos smartphones

No meu primeiro artigo resolvi falar de um tema que esta na mão do povo mais que 90% do tempo em algumas vezes, acredito que há muito que melhorar, mas vamos seguir em frente em busca de aprimoramento para que possa agradar todos que acessam nosso site. Vamos lá.

Como o nome sugere, os smartphones possuem capacidades mais inteligentes do que os telefones móveis, proporcionando funções essenciais, seguidos por utilidades adicionais, como navegação na web, entretenimento multimídia, jogos etc… Bem como mini-computadores, apenas pequenos o suficiente para caber no seu bolso.

Smartphones apareceram no mercado em cerca de duas décadas atrás, como uma alternativa para telefones móveis que transportavam a função primária para permitir apenas a comunicação de linhas por texto ou chamadas. Os smartphones de hoje têm outros recursos estendidos, incluindo lentes de câmera embutida de alta qualidade, aplicativos móveis que ajudam a produtividade, vídeo-streaming, bem como a conectividade que permitem a milhões de pessoas ficarem ligados quando enquanto estiver se deslocando de um lugar ao outro.

O que devemos esperar para os smartphones em um futuro próximo, digamos, nos próximos cinco a dez anos? Isto é provavelmente difícil de prever com precisão devido ao ritmo acelerado das evoluções tecnológicas. No entanto, enquanto aguardamos com uma imensa expectativa, por que não observar as tendências existentes e fazer algumas suposições um tanto extravagantes sobre onde os smartphones podem chegar? Vou citar abaixo algumas características para smartphones que podem se tornar pontos fortes para o desenvolvimento no futuro próximo.

Tecimob - Site para corretor de imóveis e imobiliária
  1. Realidade Aumentada (AR)

O termo ‘realidade aumentada’ ou AR, quando utilizado no contexto da tecnologia de computador refere-se o que percebemos através de nossos sentidos, referenciado a visão aprimoradas através do uso de estímulos sensoriais gerados por computador, tais como som, vídeo, gráficos e dados de GPS. Resumindo, AR disponibiliza mais informações para nós usuários pela combinação de dados do computador para o que vimos na vida real. Usando a câmera do seu telefone, você pode apontá-lo em algum lugar “ao vivo” para obter uma sobreposição de informações, onde você pode encontrar cafés mais próximos ou lugares para jantar, por exemplo.

foto2Smartphones por ser portátil é uma boa plataforma para o AR trabalhar. Você pode simplesmente sacar o seu telefone para obter a informação mais recente e relevante para o que você está procurando, sendo que essa informação você teria que ligar e pedir ou pesquisar on-line antes de sair de cobertura Wi-Fi. A maioria dos aplicativos de AR disponível agora utiliza alguma forma de Sistema de Posicionamento Global (GPS) para facilitar as buscas de localização e esse recurso é de fácil alteração para continuar a desenvolver ao longo dos próximos anos por causa de seu potencial. Então, por que não são todos os smartphones que ainda contem essa ferramenta?

Parece que o principal fator que limita é a precisão do reconhecimento para visualizações ‘ao vivo’ quando apontamos nossa lente da câmera em locais, prédios ou até mesmo pessoas. Para AR funcionar perfeitamente e de forma confiável, a tecnologia de reconhecimento de lugares, coisas ou pessoas devem ter certo padrão de qualidade.

  1. Telas flexíveis

Elas podem em breve ser o caso mais comum em smartphones, pois são capazes de fornecer uma tela grande para assistir seus filmes favoritos e jogar os melhores jogos disponíveis nas lojas virtuais, mantendo um tamanho que cabe no seu bolso. As telas podem ser dobradas e desdobradas, tudo graças a Organic Light-Emitting Diode tecnologia (OLED) . Esta tela de papel fino pode ser o recurso futuro de Smartphones como o projeto de telas de ambos os lados, de modo que você pode mostrar imagens ou vídeos para o seus amigos em um lado enquanto estiver usando o outro como um controle.

foto3Com essa flexibilidade física para smartphones, algumas empresas ainda têm planos de fazer smartphones com outras utilidades. Por exemplo, a Nokia está atualmente conduzindo uma pesquisa em seu dispositivo conceito, Morph, que oferece aos usuários a opção de usá-lo como um relógio de pulso ou desdobrá-lo para usar como um aparelho típico como e quando necessário. Tudo depende das tarefas que os usuários estarão interagindo no momento.

  1. projetor embutido

Se telas flexíveis não são suficientes para compensar as pequenas telas em smartphones por que não integrar um projetor dentro? Samsung Galaxy Beam foi lançado no segundo semestre de 2010. Ele possui um built-in DLP (Digital Light Projection) projetor WVGA que é capaz de projetar vídeos e imagens, possui uma projeção de até 50 polegadas de tamanho em 15 lumens. Que benefícios isto vai trazer? Bem, futuramente os smartphones podem realmente ser transformados em consoles de jogos interativos sem a necessidade de um ecrã de televisão e tudo que você precisa é de uma superfície plana. Em vez de um controlador físico, você pode usar seu corpo ou sua voz semelhante ao Kinect, que conta com uma câmera inteligente e uma função de controle de voz que captura seus movimentos e comandos de voz para deixá-lo interagir com a tela projetada.

foto4Você pode imaginar a taxa de drenagem na vida da bateria do seu smartphone e há também o outro problema com iluminação, ou seja, a quantidade de saídas de luz. Embutindo projetores em smartphones cada vez com seus tamanhos reduzidos, menor será a luz para projeção das imagens.

  1. Seamless Voice Control

Controle de voz tem recebido muita atenção fazendo com que o Siri fosse manchetes em vários sites de tecnologia e pauta de vários artigos na internet. O Controle de voz já existia em telefones celulares antigos com funções mais limitadas, vamos dizer que com um modo mais grosso de ser usar. Varias pesquisas foram feitas para o avanço do desenvolvimento de controle de voz, mas acabou provando atualmente ser uma tarefa primordial.

Siri sinalizou um grande avanço para o controle de voz e a maneira de programar o reconhecimento de voz. Em vez de reconhecer comandos via ondas sonoras como a maioria dos sistemas de reconhecimento de voz, Siri interpreta dicção e sintaxe em uma forma similar de como nós reconhecemos a fala.

foto5Sempre houve o interesse com controle de voz para computadores e smartphones especialmente na pesquisa pioneira da MIT. Esse vídeo do “Coloque Que Há” estudou diferentes maneiras de se comunicar com computadores em 1980. Com o aplicativo de reconhecimento de voz novo e melhorado, bem como as maiores capacidades de smartphones nos próximos anos, um controle voz perfeito parece ser uma meta viável. Isso, combinado com gestos pode trazer a interatividade um novo nível entre smartphones e seus usuários.

  1. Telas 3D e Hologramas

Os Smartphones já podem ter atingido o pico para a sua resolução de tela como da Apple “Retina Display”,  que, na verdade, fornece uma resolução mais acentuada do que o olho humano pode perceber. No entanto, mesmo assim, nós ainda queremos mais. Empresas que atuam na tecnologia mobile estão se movendo de futuras funcionalidades-smartphones 2D / para futuras características-smartphones 3D , para a telas de smartphones. No momento, temos um par de smartphones 3D no mercado, como o LG Optimus 3D, a Motorola MT810, bem como o primeiro Samsung AMOLED 3D. Então, o que acontece depois 3D?

foto6

Bem, o próximo caminho poderia ser projeções holográficas. Em essência, projeções holográficas irão significar uma combinação de características futuras-smartphones 3D e projeções a partir do smartphone. Se você quiser falar sobre o potencial de projeções holográficas para smartphones clique aqui e você ira encontrar inúmeros artigos sobre o assunto. Displays 3D podem ser integrados com elementos de movimentos quando se trata de interações do usuário com o telefone. Por exemplo, você pode redimensionar fotos usando suas mãos para “puxar” ou “comprimir” as fotos holográficas que aparecem na sua frente, mover objetos ‘colocando’ de um lugar para outro. Se você é fã do Tom Cruise o filme ‘Minority Report’ seria um exemplo de realidade futurística.
Tudo pronto para smartphones do futuro?

É emocionante esperar esses recursos no futuro dos smartphones, mas eu me pergunto quanto tempo vai demorar para que nos tenhamos acesso a tal tecnologia. Eu estou falando sobre o preço que podemos ter que pagar em troca de tais características impressionantes em nossos smartphones. Além disso, há também as outras questões, uma delas é que devemos observar é nossa privacidade podendo ser comprometida com a realidade aumentada trabalhando em seu potencial máximo. Os comerciantes terão acessos aos nossos dados privados para obter dados inacessíveis sobre nós, nossos gostos e preferências?

Tecimob - Site para corretor de imóveis e imobiliária

Além disso, com tanta informação em nossos smartphones será um problema o caso de total dependência do usuário em seus dispositivos móveis? Todo mundo está esperando para ver o que a indústria do smartphone pode oferecer, e como as massas vão reagir ao surgimento de novos e melhores smartphones, juntamente com a infinidade de questões que vêm com cada tecnologia que é introduzida para uso público. Estou muito curioso para ver como as coisas vão se desenrolar, e você não?