images (20)

Dez motivos para ter uma loja virtual

Loja virtual é um site que faz da internet seu canal de negociação, objetivando a venda de produtos e serviços à clientes online. Esses sites de e-commerce possibilitam que os clientes façam a visualização e a escolha de produtos, lançando-os em um carrinho de compras, onde a confirmação da compra e pagamentos são efetuados em um processo totalmente online.

Há não muitos anos uma das grandes dúvidas daqueles que empreendiam no comércio era a de onde fixar seu endereço físico e montar uma loja para receber seu público. Nos dias atuais essa dúvida não diz mais respeito apenas ao logradouro, abraçando também o meio digital.

Uma pesquisa rápida no Google facilmente comprova o crescimento do comércio eletrônico no Brasil e no mundo. Contudo, isso não significa que lojas físicas estão condenadas. Muitos também são os que dizem que, assim como as barreiras entre o mundo online e o offline diminuem, lojas virtuais e físicas de uma mesma empresa passem a coexistir de forma complementar, visto que nada substitui a experiência do produto “ao vivo”.

Com tantos fatores a serem analisados, na sequência trazemos algumas das nossas opiniões sobre esse caso, em tópicos, para somar aos seus conhecimentos e ajudar você a chegar uma conclusão mais satisfatória:

1) Horário de atendimento
Começamos pela questão do horário de atendimento. Neste quesito não restam dúvidas: lojas virtuais levam vantagem por funcionarem 24 horas por dia, 7 dias por semana. Basta que seu cliente possua acesso à internet e seu site esteja funcionando corretamente, sem problemas com a hospedagem.

2) Custos de um endereço físico e virtual
Investir numa loja virtual pode ser tão custoso quanto numa loja física. Na física, paga o aluguel do espaço; na virtual, paga a hospedagem (mensal) e o domínio (anual). Na física, paga um arquiteto, vitrinista, pintor e outros profissionais especializados; na virtual, uma agência que conte com programadores, web designers e também outros profissionais especializados.

Contudo, partindo da ideia de que “você recebe por aquilo que pagou”, proporcionalmente é muito mais barato ter uma loja virtual atraente e totalmente funcional. Depende de você encontrar a empresa certa para fazer esse trabalho.

3) Área de atuação e abrangência
Mais um quesito no qual lojas virtuais levam vantagem. Abertas a toda a internet, qualquer pessoa, de qualquer lugar do mundo, pode conhecer sua loja e seus produtos sem ter que se deslocar. Claro, sua logística entra em questão também. Há e-commerces que vendem para todo o mundo e outros que mantém suas atividades numa só cidade ou região. Todavia, caso você decida expandir suas atividades, você não precisa abrir um novo endereço, num novo bairro, cidade ou país.

4) Acessibilidade e experiência do consumidor
Pesquisas indicam que cada vez mais ações de marketing devem ser orientadas muito mais à experiência do consumidor do que guiadas por algum diferencial físico ou preços. Uma das coisas que possui relação direta com isso é a acessibilidade. Seja no online ou offline, essa é uma palavra-chave e que faz toda a diferença no processo de decisão de compra. Acessibilidade de uma loja física significa ter um ambiente agradável, com fácil acesso, produtos dispostos de uma maneira atraente… Tudo estrategicamente arquitetado para potencializar a experiência de comprar na sua loja.

O mesmo vale para seu site. Já percebeu o quanto sites com um bom layout e diagramação transmitem mais credibilidade mesmo que você não saiba se ele tem certificado de segurança? Você também vai querer ter certeza de que todas as informações sobre o produto estarão dispostas com uma boa leitura, além de fotos, vídeos e outros materiais que sirvam de apoio para que a pessoa não tenha dúvidas de que aquele produto é, realmente, uma boa escolha para ela.

5) Atendimento e suporte
A internet encurta distâncias, mas nada substitui o contato humano. Sem dúvida, muitos que deixam as lojas virtuais para comprar em lojas físicas o fazem em virtude do atendimento que pode ser prestado presencialmente. Apesar disso, o comércio eletrônico vem crescentemente mostrando sua faceta humanizada através de plataformas de atendimento cada vez mais personalizadas. Seja via e-mail, bate-papo ou conferências, cresce também o número de sites que disponibiliza atendentes capazes de fazer recomendações acerca dos produtos, além de se apresentarem com um nome, protocolo de atendimento, entre outros itens que dão mais segurança ao cliente.

6) Comunicação e promoção
Assim como não basta abrir as portas do seu estabelecimento e esperar que seus clientes entrem num passe de mágica, não basta abrir um site e apenas esperar que os cifrões apareçam. É preciso levar o nome da sua loja e que você oferece ao seu público. Para isso, a internet reserva métodos bastante vantajosos para pequenos e grandes anunciantes.

7) Tendências e futuro
É bem sabido que o comércio eletrônico veio para ficar. Pode ser que a forma como o conhecemos hoje mude, mas o conceito de adquirir bens e serviços através de meios digitais certamente perdurará e continuará evoluindo. O Brasil é um dos países que, de forma acelerada, tem se tornado cada vez mais consciente acerca do seu potencial no e-commerce e possui algumas das lojas virtuais mais notáveis da América Latina. Para “concluir” essa leitura, recomendamos que você também confira outra publicação que fizemos a respeito das previsões e tendências para o e-commerce brasileiro nos próximos anos:

Comércio eletrônico brasileiro cresceu 250% em 5 anos

8)Maior alcance de consumidores
Com a loja virtual, a sua empresa estará acessível para qualquer pessoa, de qualquer lugar do planeta, que pode vir a ser seu cliente e melhor, recomendá-lo aos seus contatos. Além disso, é uma grande oportunidade para inserir o produto no mercado exterior. Ampliando assim os potenciais compradores do seu produto.

9) Comodidade
Com a rotina cada vez mais agitada, as pessoas buscam mais praticidade na hora de fazer as suas compras. Se você já possui uma loja física, pondere empreender seus esforços também em uma loja virtual. Comprar pela internet em uma loja que o consumidor já conhece no estabelecimento comercial, aumenta ainda mais a confiança para realizar a compra. Além disso, a comodidade de comprar, pagar e receber sem sair de casa é muito vantajosa se comparada à ida até o estabelecimento.

10)Valorização da marca
Manter um e-commerce, mesmo que pequeno, mostra que sua marca está ligada às tendências do mercado, alerta às oportunidades e pronta para ser cada vez mais competitiva, ou seja, valoriza tudo o que diz respeito ao seu negócio, do produto à marca passando até mesmo pelos diretores e gerentes do negócio.

Números do comércio eletrônico

e-bit, desde 1999, realiza pesquisas sobre hábitos e tendências do comércio eletrônico no Brasil, os números apontam que o consumidor está interessado nas facilidades que o varejo eletrônico oferece. De acordo com a pesquisa trimestral de intenção de compra no varejo, realizada pelo PROVAR, em parceria com a e-bit, 53,8% dos consumidores pretendem comprar no mundo offline no período de Julho a Setembro desse ano. Ao mesmo tempo, 86,7% pretendem comprar online no mesmo espaço de tempo. Ou seja, o comércio eletrônico ganhou espaço onde o varejo físico perdeu. Veja abaixo um demonstrativo do faturamento do comércio eletrônico no Brasil:

evolucao-faturamento-ecommerce1

sazonalidade3

Neste ano, o faturamento do setor deve ultrapassar a marca de 22 bilhões de reais. Se a estimativa se confirmar, a área vai experimentar um crescimento de 20% em relação às vendas do ano passado, muito superior ao tímido desempenho esperado do restante da economia nacional: 1,5%. O e-commerce nacional pode registrar outro recorde neste ano: 40 milhões de brasileiros (metade dos usuários de internet no país) devem fazer ao menos uma compra em uma das 30.000 lojas on-line existentes.

 

4 respostas

Deixe uma resposta

Quer participar da discussão?
Fique a vontade para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *